Natural do Rio de Janeiro, 1941. Produtor de Um Homem e o Cinema de Alberto Cavalcanti (1975). Diretor e Produtor dos longas-metragens Os Doces Bárbaros (1978, incluído entre o Cem Melhores Documentários do Cinema Brasileiro), Corações a Mil (1983), O Judeu (1995, entre outros prêmios Melhor Filme Festival de Brasília de 1996). Produtor-delegado de co-produções afro-ibero-americanas (1989, Estorvo de Ruy Guerra). Superintendente de Assuntos Internacionais da ANCINE de 2002 a 2007. Atualmente dedica-se à produção e direção do LM Cartas Bahianas, co-produção histórica com Portugal.